Proposição de ações para melhoria da produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas reticuladas: aplicação do método Delphi

Manuela Modesto Dantas
Engenheira civil da Construtora Norberto Odebrecht, mestre pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) em Gestão da Produtividade na Construção Civil
mmdantas@odebrecht.com

Ubiraci Espinelli Lemes de Souza
Professor-doutor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), pesquisador na área de gestão dos recursos físicos e consultor na área de produtividade
ubiraci.souza@produtime.com.br

Inserido em um cenário de busca por melhorias no setor da construção civil, o estudo da produtividade surgiu como uma ferramenta importante para auxiliar no desenvolvimento da gestão dos recursos das construtoras. Relatório da Ernst & Young publicado em 2014 destacou alguns fatores estruturais que justificam maior foco na produtividade da construção civil: custos crescentes e impactos na rentabilidade, carência de mão de obra especializada e aumento da complexidade dos negócios, devido à gestão de múltiplas obras simultâneas resultante do crescimento das empresas nos últimos anos, aliado ao cenário de restrição de recursos.

Ademais, a indústria da construção civil na década passada passou por transformações intensas, como a formalização das empresas, qualificação dos trabalhadores e expansão dos investimentos. Ou seja, assistiu-se efetivamente a um ambiente mais favorável ao crescimento da produtividade conforme trabalho realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O estudo de 2012 confirmou e quantificou o ganho da produtividade na construção civil da ordem de 1,2% ao ano de 2003 a 2009. Um resultado que vem ao encontro da percepção dominante das empresas, ou seja, de que a produtividade realmente evoluiu no período pesquisado. No entanto tanto o estudo quanto a pesquisa mostraram que essa evolução poderia ter sido melhor, e que nos anos recentes o crescimento da produtividade está sendo sobreposto pelo aumento dos salários. Dessa forma, gestores têm enfatizado a importância do treinamento da mão de obra, adoção de novos métodos construtivos, uso mais intensivo de máquinas e equipamentos e planejamento mais eficiente do trabalho e da produção, de modo a se obter ganhos consideráveis de produtividade.

O objetivo deste trabalho é a proposição de um conjunto de medidas visando trazer um incremento na produtividade da mão de obra do serviço de concretagem em estruturas reticuladas de concreto armado.

O método Delphi
A técnica Delphi passou a ser disseminada no começo dos anos 60, com base em trabalhos desenvolvidos por Olaf Helmer e Norman Dalker, pesquisadores da Rand Corporation (Estes e Kuespert, 1976). O objetivo original era desenvolver uma técnica para aprimorar o uso da opinião de especialistas na previsão tecnológica. Ao longo do tempo a técnica passou a ser utilizada para previsão de tendências sobre os mais diversos assuntos.

O método Delphi passou a ser utilizado não só como instrumento de previsão, mas também como uma ferramenta eficaz para subsidiar a tomada de decisões sobre eventos presentes que carecem de intervenção.

Sucintamente falando, o Delphi é um método para se estruturar a comunicação de um grupo de especialistas, através de interações realizadas por meio da repetição de questionários, acompanhados de feedback, mantendo- se o anonimato das respostas dos participantes, na busca de um resultado específico. Originalmente, o resultado esperado era obter um consenso a respeito do assunto pesquisado.

No presente trabalho o método Delphi foi utilizado com o objetivo de se obterem prioridades sobre ações que tenham melhor desempenho para melhoria da produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas de concreto armado.

O método Delphi se caracteriza pela aplicação sucessiva do questionário Delphi a um conjunto de especialistas em várias rodadas. No final de cada rodada é feita uma análise estatística dos resultados, que são compilados e colocados no questionário subseqüente que volta ao grupo, o qual terá oportunidade de rever suas repostas à luz das respostas do conjunto. As interações se sucedem desta forma até que um consenso ou quase consenso seja atingido.

Considerações iniciais
A análise do reflexo dos fatores intervenientes na produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas de concreto armado subsidiou a proposição de ações visando à melhoria desse serviço (para maiores detalhes sobre tais fatores, ver Dantas, 2006).

O levantamento desses fatores foi realizado segundo dois métodos. O primeiro método utilizou entrevistas semiestruturadas com especialistas para identificação dos fatores intervenientes na produtividade da mão de obra da concretagem de estruturas de concreto armado (ver Dantas, 2006). Foram selecionados 40 especialistas para participarem das entrevistas entre engenheiros civis de produção, gerentes de obra, mestres de obra e encarregados de serviço de sete obras diferentes na cidade de São Paulo.

O segundo método utilizou dados obtidos em campo em sete obras de edifícios em São Paulo para identificação dos fatores por meio da análise das medianas e gráficos de dispersão dos valores de produtividade da mão de obra de concretagem de estruturas de concreto armado. Em um período de três meses, foram levantados valores de produtividade em 103 concretagens, realizadas em edifícios que utilizavam estrutura em concreto armado localizados na cidade de São Paulo. As obras selecionadas tinham características semelhantes, mas com diferenças em relação a fatores que foram analisados. Também eram da mesma construtora, a qual apresentou interesse no estudo e ajudou na coleta dos dados (Dantas, 2006).

O levantamento de campo revelou fatores não citados nas entrevistas, confirmou fatores levantados pelos entrevistados e não foi conclusivo em relação a outros fatores citados nas entrevistas.

tabela 1 mostra todos os fatores considerados nos dois métodos e que serão utilizados para definição das ações para melhoria da produtividade, a serem utilizadas na entrevista com especialista para eleição de melhores ações em termos de custo-benefício, por meio da aplicação do Método Delphi.

No entanto, a definição sobre quais ações apresentariam melhor relação custo-benefício não se considera ser factível deterministicamente. Por tudo, acreditou-se que uma consulta a especialistas permitisse a escolha das mais promissoras.

Dessa forma, o método Delphi foi escolhido para ser uma ferramenta que propicia um processo de comunicação grupal e para que subsidie a tomada de decisão sobre as ações, dentre as propostas pelos autores, que se espera terem melhor desempenho em termos de custo-benefício na melhoria da produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas de concreto armado.

Com base no entendimento da interferência dos fatores propuseram-se as 31 ações apresentadas na tabela 3 que levassem a um influenciamento pró-ativo de tais ações quanto à melhoria da produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas de concreto armado.

A partir de tais ações foi elaborado o questionário para envio aos participantes do painel Delphi.

Tabela 1 – FATORES INTERVENIENTES NA PRODUTIVIDADE DA MÃO DE OBRA DA CONCRETAGEM DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

Utilização do método Delphi
Para participar do painel Delphi foi composto um grupo com 15 construtoras de edifícios em São Paulo, para as quais seria interessante aplicar ações que visassem à melhoria da produtividade da concretagem e que teriam condições de avaliar quais teriam melhor desempenho em termos de custo-benefício se aplicadas à realidade das obras.

Foram enviados questionários a 35 profissionais responsáveis pela gestão de empresas construtoras, podendo ocupar cargos de níveis hierárquicos diferentes, do nível de diretoria até a responsabilidade pela produção da obra.

Tabela 2 – CARGOS DOS PARTICIPANTES DO DELPHI

A pesquisa obteve taxa de retorno de 60%, com a participação de 21 pessoas.

Foram realizadas duas rodadas da pesquisa; as duas fases contaram com os mesmos 21 participantes. Já na primeira etapa verificou-se um grau de consenso relativamente alto, que se manteve e se acentuou na segunda rodada.

O primeiro questionário era constituído de duas partes: a primeira, uma pesquisa exploratória para se determinar o perfil dos respondentes; na segunda parte, foram propostas 31 ações para melhoria da produtividade da concretagem, em que os respondentes eram solicitados a escolherem as cinco que consideravam de melhor custo-benefício.

O segundo questionário foi elaborado contendo, além da apresentação das 31 ações anteriormente citadas, o percentual de votantes em cada ação e as principais justificativas de voto dadas pelos participantes do painel Delphi na aplicação da primeira rodada.

Os respondentes do painel Delphi ocupam, em termos percentuais, os cargos apresentados na tabela 2.

Resultados da primeira e da segunda aplicação do Delphi
A aplicação do questionário Delphi na primeira e segunda rodada obteve como resultado a distribuição de votos nas ações e percentual de votantes que optaram pelas mesmas conforme apresentado na tabela 3.

Dessa forma, as cinco ações propostas no presente trabalho para melhoria da produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas de concreto armado e que têm potencial de apresentar melhor desempenho levando em consideração o custo-benefício, já que foram as mais votadas e que obtiveram consenso dos especialistas, conforme previsto pelo método Delphi estão apresentadas na tabela 4.

Considerações finais
O método Delphi procurou detectar a opinião de construtores acerca das ações que apresentassem melhor desempenho em termos de custo- benefício na busca do aumento da produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas de concreto armado. Uma amostra qualificada de participantes acreditou nesta iniciativa e acompanhou as duas rodadas da pesquisa.

A primeira rodada de aplicação do método Delphi já apresentou uma grande convergência em torno das cinco ações mais votadas, mas ainda uma dispersão de votos em todas as ações apresentadas. Com a aplicação da segunda rodada de questionários o consenso foi confirmado e os percentuais de escolha nas cinco ações mais votadas aumentaram em todas elas.

A dispersão de votos também diminuiu consideravelmente de uma rodada para outra. Na primeira rodada do Delphi, os participantes votaram em 27 das 31 ações apresentadas; já na segunda rodada, os participantes votaram em 22 das 31 ações novamente apresentadas.

Tabela 3 – QUANTIDADE DE VOTOS E PERCENTUAL DE VOTANTES POR AÇÃO NA PRIMEIRA E SEGUNDA APLICAÇÃO DO DELPHI

Tabela 4 – AÇÕES PARA MELHORIA DA PRODUTIVIDADE DA MÃO DE OBRA NA CONCRETAGEM DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

Por outro lado, na segunda rodada do Delphi evidenciou-se a confirmação da opção dos participantes pelas cinco mais votadas, estando a sexta colocada consideravelmente abaixo da quinta colocada em percentual de votantes que optaram por elas. A quinta teve 49,2% de votantes que optaram por ela e a sexta teve 28,6% de votantes que optaram por ela.

As ações escolhidas como de melhor desempenho estão relacionadas com equipamentos de transporte de concreto, organização do canteiro de obra, programação da concretagem e definições do projeto estrutural.

Embora tecnicamente nem sempre seja possível, grande parte dos participantes do Delphi mostrou interesse na utilização de bomba com lança como equipamento de transporte de concreto para concretagem de lajes e vigas (figura 1). Isso evidencia a necessidade de busca de condições para que esse fato seja algo possível.

Evidencia-se, também, a preocupação quanto aos atrasos durante as concretagens, que podem gerar tempos improdutivos, os quais, segundo os respondentes, podem ser minimizados pelo melhor planejamento do serviço, o que levaria à antecedência de pedidos de concreto à concreteira.

Outro fator evidenciado para gerar diminuição dos atrasos é a realização das concretagens no período da manhã, já que, segundo os respondentes, concretagens realizadas durante a tarde são prejudicados por atrasos de outras obras atendidas no período da manhã.

A utilização de layout de canteiro preparado para o acesso de caminhões betoneira também diminui os atrasos iniciais e intermediários e facilita a troca entre os caminhões, segundo os participantes do painel Delphi (figura 2).

Por fim, a solicitação de que os projetos estruturais tenham pequeno percentual de vigas invertidas, deve-se, segundo os painelistas, ao fato de a execução de vigas invertidas tornar a concretagem mais difícil, levando a piores valores de produtividade de mão de obra.

Dessa forma, a utilização do Delphi serviu bem ao seu propósito de selecionar as ações de melhor desempenho, segundo os construtores, para melhoria da produtividade da mão de obra na concretagem de estruturas de concreto armado. Essa definição pode servir de parâmetro para tomada de decisão pelos construtores que objetivem a melhoria dos seus indicadores de produtividade da mão de obra e uma gestão mais eficiente dos seus recursos físicos para execução do serviço.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

A Produtividade da Construção Civil Brasileira. Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). FGV Projetos, 2012.
Delphi – Uma Ferramenta de Apoio ao Planejamento Prospectivo. Wright, J.T.C.; Giovenazzo, R.A. In: Cadernos de pesquisa em administração. V. 1, n.12, 2o trimestre/2000.
Delphi in Industrial Forecasting. Chemical and Engineering News. Estes, G.M.; Kuespert, D. EUA, p.40- 47, 1976.
Estudo sobre Produtividade na Construção Civil: Desafios e Tendências no Brasil. Ernst & Young, 2014.
Fôrmas para Concreto Armado: Aplicação para o Caso do Edifício. Fajersztajn, H. São Paulo: 1987. 247p. Tese (Doutorado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.
Método Delphi: Fundamentos, Críticas e Vieses. Securato, J.R.; Kayo, E. K. In: Cadernos de Pesquisa em Administração. V.1, n.4, p.51-61, 1o sem. 1997.
Metodologia para o Estudo da Produtividade da Mão de Obra no Serviço de Fôrmas para Estruturas de Concreto Armado. Souza, U.E.L. São Paulo: 1996. 280p.Tese (Doutorado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.
Produtividade: a Chave do Desenvolvimento Acelerado no Brasil. Mckinsey Global Institute. São Paulo/Washington: Mckinsey Brasil, 1998.
Proposição de Ações para Melhoria da Concretagem em Edifícios Verticais. Dantas, M.M., São Paulo: 2006. 162 p. Dissertação (Mestrado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.
Revista Construção. São Paulo: Pini Editora, 2000. Nº 2733.

Fonte: techne.pini.com.br

Deixe uma resposta